A BUROCRACIA PARA ABRIR UM NEGÓCIO NO BRASIL

A BUROCRACIA PARA ABRIR UM NEGÓCIO NO BRASIL -

O lançamento de empresas privadas no Brasil é uma questão trabalhosa e que não facilita aos empreendedores, já que a burocracia para a abertura é tanta, que muitas pessoas desistem durante o processo ou levam tempo para conseguir todas as autorizações necessárias. E situações essas são rotineiras. Todos os dias existem diversas pessoas correndo atrás de informações para abrir o sonhado negócio próprio.

Essas informações acabam sendo incompletas e destinadas a locais distintos. Estamos falando em muitos casos de uma mesma documentação que precisa ser expedida por órgãos diferentes. E isso não depende apenas das licenças, mais também de taxas, alvarás, advogados, contadores, cartórios, juntas comerciais e diversos outros procedimentos.

Dados do Índice de cidades empreendedoras (ICE) em 2017, informou que no ranking das cidades com maior índice de empreendedores se encontra em 1º lugar a cidade de São Paulo, seguindo por Florianópolis, Vitória, Curitiba, dentre outros. Na pesquisa ainda feita mostra que, embora a abertura de uma empresa leva em média 62 dias, dependendo do estado e ainda assim pode ocorrer alterações. Dentre as cidades analisadas, Cuiabá encontra-se em primeiro lugar com uma média de 20 dias para abrir um negócio e Porto Alegre em último com um período de 163 dias para abertura.

A região de São Paulo a partir das estatísticas leva em torno de 74 dias para a abertura da empresa. Todo esse processo é preciso alvará de funcionamento que tem um tempo médio de 20 dias para liberação, a concessão do alvará de corpo de bombeiros que pode levar um tempo a mais dependo da situação do local.

Para a regularização de algum imóvel, se for o caso, na região de São Paulo leva em torno de 529 dias para autorização. Já em relação aos impostos brasileiros, cada um deles possuem responsabilidades de níveis diferentes do governo, podendo ser municipal, estadual e federal. Esses governos possuem autonomias para decidir as leis e alíquotas dos impostos, preservando apenas os limites mínimos e máximos, portanto, municípios e estados podem para um mesmo tributo especificar valores distintos.

Em muitos casos os empreendedores começam como Microempreendedor Individual (MEI), depois passam a adentrar no Simples Nacional e em seguida vai para Microempresa (ME), conforme o desenvolvimento do negócio.

Um dos principais problemas que os empreendedores encontram é a falta de centralização da informação, em muitos casos são diversos locais para resolução de um único problema. A presença e ajuda de um contador, profissional do ramo ou experiências anteriores são as principais formas de facilitar esse processo, e principalmente além de buscar informação, é necessário filtrar para o que realmente precisa sem deixar nenhuma burocrática para traz que possa prejudicar o andamento da empresa.

Para o Banco Mundial o país esta entre uma das piores economias para se investir em negócios, e muito disso é fruto da burocracia que se encontra tanto na abertura quanto no fechamento das empresas brasileiras. Alguns dos requisitos que tornam o país um local complicado para empreendimentos são a dificuldades para abrir o negócio, as permissões de zoneamento e o pagamento dos impostos necessários.

Não estamos falando de desempenho das empresas e sim de burocracia para se ter um negócio, em muitos casos empresas que se expandem muito acaba que os donos do empreendimento não se encontram mais nos locais, já que precisam estar atrás de documentações constantemente para compreender tudo que é determinado pelo governo.

Esse período que vimos no país para a abertura do negócio comparado a outros países se torna uma diferença grande, sendo que é o triplo de tempo comparado a argentina, e oito vezes a mais que a Rússia. Na Nova Zelândia e nos Estados Unidos esse tempo é em torno de 24 á 48 horas.

A aceleração ocorreu com a utilização dos processos eletrônicos pelo governo, com a padronização de documentos, registros online e o uso opcional do cartório. Por incrível que pareça o Brasil passou por essa onda de modernização, com a padronização da comunicação entre os órgãos. Podendo protocolar tudo em uma única plataforma, mas essa implantação se encontra de forma lenta e complexa levando em conta o numero de municípios brasileiros que terão esse acesso.

 

 


  Automação